Alimentação com base Antroposófica

A IAO traz em sua cultura as bases antroposóficas, buscando o máximo de harmonia e respeito com a natural fisiologia do nosso corpo, pois acreditamos que o alimento deve nutrir também a nossa alma.

Uma alimentação antroposófica é aquela prática da culinária ovo-lacto-vegetariana orientada pela Antroposofia, a ciência espiritual fundada por Rudolf Steiner. Dentro desta visão, a ciência da nutrição é então ampliada pela visão global do homem, dos reinos da Natureza e do Cosmo. Esta seria uma alimentação então voltada para a preservação da saúde, mas que permite ao mesmo tempo a preservação dos prazeres sensoriais. Os sentidos como o olfato e paladar quando bem cultivados e devidamente estimulados servem como uma verdadeira higiene alimentar.

Sob a perspectiva global do ser humano, o alimento consumido dentro dos limites dos prazeres se torna a base do processo que poderá levar o ser humano em direção ao progresso real, à reunificação com sua meta espiritual. A partir de tal posicionamento, vem-se a perceber que não se pode dissociar as questões espirituais daquelas que envolvem a vida da matéria.

É por isso que a IAO se preocupa com a qualidade dos seus ingredientes e busca sempre trabalhar com o máximo possível de produtos orgânicos. Os métodos atuais de produção agrícola, utilizando excessivamente adubos e inseticidas químicos, enfraquecem as plantas, com perda total ou parcial de suas propriedades aromáticas.

Dentro desta mesma ciência de autodesenvolvimento humano, a percepção olfativa nasce quando o espiritual mergulha o mais profundamente neste mundo. E é assim que no aroma, no frescor o alimento se torna tão espiritualizado. O que torna um alimento verdadeiramente nutritivo para o homem são suas forças aromáticas cósmicas, que lhe permite criar o substrato material da consciência. E quando a planta parece não possuir odor, podemos captar nelas uma outra forma de odor, a emanação refrescante. E não é verdade que sempre procuramos os alimentos mais frescos?

Steiner mencionou que o sentido do paladar no homem é capaz de transformar-se em forças de sentimento. Ou seja, somos capazes de transformar a sensação do gosto numa experiência da alma, dissociando-a do meio exterior. Agora compreendemos porque a higiene alimentar deve estar fundamentada numa arte culinária que valorize a preservação do paladar. Uma questão bem delicada, que representa um anseio da humanidade atual, uma vez que ela não se guia mais pelo instinto alimentar primitivo e natural. A IAO traz em seus produtos e receitas o máximo de harmonia e respeito com a natural fisiologia do nosso corpo, pois acreditamos que o alimento deve nutrir também a nossa alma.

E por que levamos o assunto tão a sério? As doenças não infecciosas, como as cardiovasculares, neoplasias malignas e diabetes melitus, podem ter predominância em relação às doenças infecciosas em causas de morte. E essas doenças nós podemos evitar com o auxílio da higiene alimentar, de preferência praticada desde a infância, ou a partir do momento que tomamos consciência da sua importância.

Aqui colocamos algumas medidas práticas para iniciar:

  • Uma boa mastigação é essencial para a boa digestão.
  • A alimentação de idosos e crianças devem ser diferenciadas com relação à do adulto.
  • É importante comer dentro de um tempo mínimo de 20 minutos e evitar ao máximo de fazer a refeição às pressas.
  • Os condimentos estimulam a sua digestão além de propiciar sabor.
  • Evitar ingestão de líquido durante as refeições grandes, como almoço e jantar.
  • Hidratar-se ao longo do dia.
  • Os alimentos não devem ser ingeridos nem muito quentes nem muito frios.
  • Os alimentos crus, devem ser ingeridos de preferência à temperatura ambiente e sem sal, pois já são ricos em minerais.
  • O sal é um condimento, e não um alimento.
  • Frituras, quando presentes, não ultrapassar a frequência de 1 vez na semana e devem estar, preferencialmente, somente no almoço, pois nesse período a vesícula está no pico do seu funcionamento e, portanto, a digestão do excedente de gordura será facilitada. A sobremesa pode ser uma fruta ácida para ajudar na digestão das gorduras.
  • Evitar alimentos fermentativos à noite. Dar preferência aos alimentos cozidos ao invés de crus, pois nesta etapa do dia nossa digestão se processa mais lentamente.
  • Doces de preferência após as 15 horas, pois nesse período o fígado está em intensa produção de reservas de glicogênio e o açúcar ingerido pode ser melhor aproveitado.

Um importante aspecto que gera um pouco de controvérsia dentro da nutrição acadêmica ensinada atualmente é com relação aos cereais integrais. No tipo de alimentação indicada pela Antroposofia, o cereal integral tem um papel de extrema importância devido às suas qualidades sutis ligadas às forças solares cósmicas. Por isso ele é recomendado com frequência nas refeições. Chama a atenção a utilização do cereal integral tanto como fonte de carboidratos como de proteína vegetal pela Antroposofia.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.